A preparação técnica do novato

A preparação técnica do novato

Ao novato, candidato à deputação federal, não basta se posicionar contra a corrupção, contra os políticos atuais e se apresentar como renovador, para conseguir ser eleito.

Os "renovadores" tem surgido, predominantemente, no seio da opinião publicada(*), e precisam ter uma base eleitoral forte dentro dela para disputar os votos dos eleitores das demais categorias.

(*) opinião publicada é a parte da população que acompanha os acontecimentos políticos pelos meios de comunicação e são influenciados pelos "formadores de opinião". Contrapõe-se à opinião não publicada que não se interessa pelos acontecimentos politicos, não os acompanha, mesmo quando acionados pelos meios diretos de comunicação, como telefonemas ou mensagens no celular. Não são influenciados pelos formadores de opinião através da midia. Mas acabam por ser alcançados pelos programas eleitorais obrigatórios e debates no final das campanhas eleitorais. Ai formam opinião própria ou seguem orientações de familiares, amigos e outras pessoas de conhecimento presencial. 

Para conquistar os votos dos eleitores integrantes da opinião publicada, precisam ter propostas positivas que os alcancem, tanto do ponto de vista de coincidência de pensamento ou "visões de mundo", como de atendimento deles como consumidores. 

A coincidência de pensamento é necessária, mas insuficiente para conquistar os votos dos eleitores integrantes da opinião publicada. Principalmente, porque nas circunstâncias atuais, predominam os pensamentos anti. São desconstrutivos de outros políticos, mas não construtivos a favor do eleitor. 

O eleitor da opinião publicada, enquanto consumidor ou usuário de serviços públicos ou sob influência estatal, quer uma ação estatal que melhore o atendimento e remova obstáculos que o prejudique. 

Constituida predominantemente por pessoas de renda média e superior, com formação escolar, moradores nas cidades, as suas principais necessidades referem-se à vida urbana, como mobilidade urbana, saude, educação, segurança, trabalho, habitação entre outros. 

Para fazer propostas consistentes que sensibilizem os eleitores não basta expressar opiniões pessoais a respeitos do tema e das suas questões.  Precisará ter  conhecimentos técnicos mínimos, seja para a compreensão dos problemas, como para propor soluções. 

Não para ser um técnico nas matérias, mas - primeiramente - para entendimento de como as decisões e ações públicas impactarão a vida cotidiana do eleitor e da sociedade em que vive. A partir dai propor medidas que sejam percebidas pelo eleitor como viáveis para a solução dos problemas. 

Se as suas proposições não forem percebidas como adequadas pelos eleitores, sensibilizando-os pela sua colocação e apresentação não resultarão em voto.  

(cont)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Percepção correta, personagens não

Em 24 de janeiro de 2018, colocamos esta chamada de atenção para a questão estratégica no processo eleitoral. Na ocasião Bolsonaro não hav...