domingo, 25 de novembro de 2018

O povo já vota em quem representa os seus interesses

O eleitor já vota em quem representa os seus interesses. São interesses comunitários ou corporativos. Não são eleitos como representantes de pensamentos, de idéias ou de programas amplos de espectro nacional. São eleitos como despachantes de interesses comunitários ou corporativos. 
Os partidos são meros cartórios para o registro das candidaturas, sem unidade ideológica ou programática. 
A aplicação da cláusula de barreira vai reduzir o número de partidos, racionalizar o processo legislativo, mas não vai sanear o sistema político. 
A praga do "despachantismo" vai seguir incólume.

segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Os primeiros tempos

Com votação recorde o novo Governo terá um forte apoio popular para pressionar o novo Congresso, a favor das medidas que propuser.
O problema está no que vai propor, em função das disputas internas dentro do seu grupo de apoio.

Independentemente da disputas políticas o novo Governo deverá começar o ano com boas notícias econômicas, a menos que São Pedro, ou próprio Bolsonaro,  criem problemas. 
Nas perspectivas atuais do clima, o Brasil deverá colher - ainda nos primeiros meses do ano - a maior safra de grãos de todos os tempos e bater novos recordes de exportação. O que irá influir no ânimo do mercado e nas cotações do dólar. 

A perspectiva mais provável para o primeiro semestre de 2019 é de uma animação do mercado, em alguns setores até de euforia, gerando um "bolha". 
Quem quiser aproveitar a oportunidade, terá que se arriscar investindo para se preparar para atender às demandas adicionais. 

A vontade do Soberano submetida ao Senado Federal

O anúncio pelo Presidente Bolsonaro da indicação do filho Eduardo para a embaixada do Brasil nos EUA, decorre do voluntarismo do soberano, o...