segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Um novo amor!

Em 10/06/2018 publicamos este "post"

Para que se efetive uma ampla renovação do Congresso Nacional duas condições são essenciais:
Mal comparando, seria uma situação de fim de namoro ou casamento em que uma parte decepcionada com o(a) parceiro(a) se separa, e tem esperança de encontrar um novo amor. 
Se esse novo não aparecer, o eleitor ou eleitora, poderá voltar ao relacionamento anterior. Poderá perdoar as mazelas e até traições. 

A pergunta que não quer se calar é: quais são os discursos autênticos que o novato pode apresentar para sensibilizar suficientemente os vulneráveis, para que o eleitor vote nele e não nos conhecidos veteranos? 

Ou na comparação, como o novato pode ser o novo amor do eleitor ou eleitora que se separou, decepcionado com o(a) parceiro(a)?

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

O risco da abertura unilateral

O Brasil está diante de repetir a história, com duas duplas improváveis: Guedes-Malan e Bolsonaro-Collor.
Guedes só cuida do setor financeiro e não dialoga com o setor industrial, assim como fazia Pedro Malan. Não é seu propósito uma abertura unilateral, mas não dará ouvidos às reclamações da indústria, caso Bolsonaro queira fazê-lo a moda Collor. 
A crise de emprego decorre, em grande parte, da desindustrialização. Que se agravará com uma abertura unilateral. 

terça-feira, 9 de outubro de 2018

Estranha renovação

No Espirito Santo, Bolsonaro sai na frente, com grande vantagem sobre Haddad, mas o seu candidato ao Governo do Estado, Carlos Manato não impede a vitória de Renato Casagrande ainda no turno.
Para o Senado há total renovação, com dois novos Senadores e Magno Malta, o principal político apoiador de Bolsonaro, não foi reeleito, ficando em terceiro lugar.

Já para a Câmara dos Deputados e renovação nominal foi de 50%, com 5 reeleitos, mas um dos atuais deputados federais, Carlos Manatto, aderiu logo cedo ao Bolsonaro, foi candidato ao Governo e derrotado por Renato Casagrande. Mas conseguiu que os eleitores votassem em sua mulher Dra. Soraya Manato, também pelo PSL.
Dos outros 4 novos, Lauriette, cantora gospel, atual mulher de Magno Malta, ex-deputada federal, eleita em 2010, retorna à Câmara, para dar maior audiência às sessões da Bancada Evangélica, na Câmara, com as suas concorridas apresentações musicais. Da Vitória é um tradicional político capixaba, várias vezes eleito deputado estadual.
Amaro Neto, o mais votado é um apresentador de TV "tipo Datena", eleito em 2014, deputado estadual, com a maior votação, derrotado em segundo turno no pleito muncipal de Vitória, em 2016, agora recebeu o maior número de votos do eleitorado capixaba. 

A efetiva renovação dos quadros políicos ocorre com a eleição de Felipe Rigoni, um engenheiro de 27 anos, cego, que chega à Câmara dos Deputados, como o segundo mais votado. Felipe é um dos membros do movimento RENOVABR. 

domingo, 30 de setembro de 2018

Até onde a vista alcança

Acaba de ficar pronto o meu livro "Até onde a vista alcança", no qual a partir de uma pesquisa exploratória, apresento vários achados, diferentes ou até contrários ao pensamento vigente nas análises políticas:
  1. ninguém se elege. São eleitos;
  2. o eleitor ("o povo") sabe votar;
  3. vota e elege o "despachante" de interesses coletivos restritos;
  4. o seu voto decorre de visão de mundo "curta", limitada ao ambiente imediato em que vive;
  5. visão "até onde a vista alcança".
A pesquisa e o livro são iniciativas do PNBE - Pensamento Nacional das Bases Empresariais, no âmbito do projeto RENOVA 80-20, do qual sou um dos coordenadores. 

A responsabilidade integral do conteúdo é do autor, não correspondendo ao pensamento unânime do PNBE, que tem no seu ideário, a diversidade de pensamento e posições dos seus associados.

quarta-feira, 26 de setembro de 2018

O plano Lula para a volta ao poder

A teoria da conspiração indica que o plano para eleger Bolsonaro no primeiro turno é obra do maquiavélico Lula para voltar ao poder.
Ele trabalha mais com as visões e ilusões dos eleitores do que com as estratégias dos candidatos. 
Ele busca gerar a impressão de que Bolsonaro é o único capaz de derrotar o PT, mas sabendo por contas simples que Bolsonaro não conseguirá ganhar no primeiro turno.
Mas Lula quer que o ex-capitão, e não outro, vá para para o segundo. Quando seria derrotado pelo PT. Diante dos demais candidatos a perspectiva do candidato do PT ser derrotado é maior. Na sua conspiração não quer que qualquer outro vá para o segundo turno. Então incentiva o voto útil a favor de Bolsonaro.
Os planos "maquiavélicos" defendem uma coisa para obter o contrário. E a "turma dos bobões" vai atrás.
Há sim uma conspiração para a volta de Lula ao poder e essa é a campanha "eleição de Bolsonaro no primeiro turno".


quarta-feira, 19 de setembro de 2018

A oportunidade para voltar a crescer

O desenvolvimento de um agronegócio de maior valor agregado é a maior oportunidade que o Brasil tem para voltar a crescer e promover a sua reindustrialização.
A oportunidade decorre da continuidade da demanda do mundo por alimentos, em função do aumento da população e da melhoria das rendas per-capita. De um lado há demanda para vencer a fome e, de outro, melhorar o consumo de alimentos mais saudáveis.
A ameaça está na concorrência. Outros países estão percebendo a mesma oportunidade. Alguns, sem matérias primas, buscam importá-las para processá-las e exportar alimentos prontos ou semiprontos para consumo, com maior valor agregado. 
O Brasil se planeja e se firma como um supridor mundial de alimentos processados ou será "relegado" ao papel de fornecedor de commodities, com baixo valor,  para os países que irão processá-los, agregar valor, gerar empregos e se desenvolver economicamente, às custas do "celeiro do mundo". 
Ou o Brasil percebe e aproveita a oportunidade ou irá perder sucessivamente posições entre as maiores economias do mundo, com a continuidade de taxas de crescimento pífios.

terça-feira, 11 de setembro de 2018

Hélio Jaguaribe e o legado do ISEB

Muito da visão que tenho colocado aqui aprendi no ISEB - Instituto Superior de Estudos Brasileiros. Aprendi com os mestres Hélio Jaguaribe Gomes de Mattos, recém falecido , Roland Corbisier, Alberto Guerreiro Ramos, Cândido Antonio Mendes de Almeida, Alvaro Vieira Pinto, Nelson Werneck Sodré, Ignácio Rangel, Gilberto Paim e outros a entender o Brasil em suas diversas dimensões. Com a sua composição e evolução estrutural.
O ISEB foi dizimado pelo golpe militar de 1964 e o pensamento estrutural foi substituído pelo pensamento econômico, para o qual o Brasil se resumia a um conjunto de tabelas numéricas. Do ponto de vista estrutural a simplificação era: o Estado de um lado e o mercado de outro. 
Registro aqui as minhas homenagens póstumas a Hélio Jaguaribe, tentando aqui - humilde e tacanhamente - manter as visões que aprendi no casarão de Botafogo, no Rio de Janeiro, ainda nos anos cinquenta.

Um novo amor!

Em 10/06/2018 publicamos este "post" Para que se efetive uma ampla renovação do Congresso Nacional duas condições são essenciais...