É resultado do pacto?

O Congresso aprovou, nas últimas horas, a Medida Provisória, de combate às fraudes no INSS, com dois grandes feitos, segundo o noticiário:
conseguiu um quorum para deliberação, numa segunda-feira, dia da semana em que os parlamentares, normalmente, ainda estão chegando das suas bases e o plenário fica vazio.
Em segundo lugar, fez um acordo com a oposição, mediante promessa futura de incluir uma alteração no projeto, refente ao cadastramento de trabalhadores rurais na Reforma da Previdência. 
Houve uma intensa articulação e um acordo. Quem conduziu? quem assinou a promissória? quem avalizou (endossou)?
Já é resultado do "pacto Bolsonaro"? Foi conduzido pelo Presidente do Senado David Alcolumbre? 
Não foi, ou não teria sido, o Governo que conseguiu reunir 67 Senadores, em plena segunda-feira, dentro do Senado. Foi o número de votantes, com o que teriam faltado apenas 14 do total de 81.
Nada negociou, não pediu para "dar o voto" em troca de um "leva - alguma coisa - futura".
Os senadores teriam antecipada a chegada, pelo sendo de responsabilidade. Não quiseram correr o risco de serem acusados de trabalhar contra o Brasil, por omissão. 
A oposição sempre defendeu um endurecimento contra as fraudes, embora focado nos empregadores inadimplentes - que continuaram fora - estimando que com o combate às fraudes, não seria necessária a Reforma da Previdência, na questão da idade mínima.
Derrotada na Câmara negociou uma alteração no cadastramento dos trabalhadores rurais, com a promessa de inclusão do seu pleito no relatório do relator da Comissão Especial da Reforma da Previdência.
Se não for cumprida quem será o estelionatário? 

(cont)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A vontade do Soberano submetida ao Senado Federal

O anúncio pelo Presidente Bolsonaro da indicação do filho Eduardo para a embaixada do Brasil nos EUA, decorre do voluntarismo do soberano, o...