Sugestão de um plano de "conquista" do eleitor

O eleitor ou eleitora "dispensou" a sua parceira ou parceiro - em quem votou anteriormente -decepcionado com ela(ele), por ter se "vendido", entrando na quadrilha de corruptos e voltado aos seus interesses pessoais e não ao interesse público.
Não quer reeleger ninguém, mas o seu voto (como o seu coração e mente) está aberto a "novo amor". 
Novos podem conquistá-los, mas como conseguir isso. 
Não bastam idéias gerais. O eleitor quer uma perspectiva de que o seu eleito vá ajudar a melhorar a sua vida. Com comportamento sério e honesto, mas com propostas mais objetivas.

Para conquistar o coração do eleitor de menor renda, que ainda depende inteiramente dos serviços públicos, por não ter renda para se valer dos serviços privados, não é suficiente falar em educação de qualidade ou saúde de qualidade.

Mesmo no sentido geral ele quer educação pública de qualidade, saúde pública de qualidade. E quer que essa qualidade chegue à sua comunidade. Seja para atender aos seus filhos, como a ele ou ela mesma. 

As proposta devem atender às expectativas de "baixo para cima", isto é, o que os usuários esperam de uma educação pública de qualidade. Não o que os educadores acham que o usuário deve ter. 

Os educadores priorizam o conteúdo do ensino. Os usuários querem, em primeiro lugar, o professor na sala de aula, em segundo lugar, uma boa merenda e em terceiro lugar que o professor ensine, de forma atrativa, o que os alunos conseguem aprender. 
A proposta de ensino básico - público - de qualidade deve ser, em primeiro lugar, garantir a presença do professor na sala de aula. As medidas devem envolver a redução de faltas justificadas, maior rigor no desconto das faltas e criar bônus de assiduidade. 

Em segundo lugar, a remuneração por desempenho, medidas pelo desempenho dos seus alunos em exames nacionais ou regionais. 

São medidas que contrariam a corporação dos professores públicos, que deixaram de ver o magistério como uma missão humanitária, para se tornar um trabalho exaustivo e mal remunerado.

(cont)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mobilização nacional

A Copa do Mundo tem o dom de promover mobilização nacional. Não só no Brasil. Segundo a visão estratégica, a razão é simples. Cada seleçã...