Me engana que eu gosto!

O Presidente Temer está sob forte pressão, com vários riscos de ser desalojado do poder antes do término regular do seu mandato.
Acredita, como muitos outros, que só a melhoria da confiança dos agentes econômicos e a reanimação da economia lhe dará fôlego para completar a caminhada pela precária pinguela, até chegar à transferência do poder ao seu sucessor no início de 2019. 
E ele deve ter pedido: me arrumem uma agenda positiva. 
Ai não faltam bajuladores ("puxa sacos" em linguagem popular), sem criatividade, para propor "agendas positivas". Para restabelecer ou reforçar o nível de confiança do "mercado". 
Voltam a repetir o modelo fracassado e ultrapassado do PAC, dando-lhe nova roupagem. Já colocamos aqui que o tal "Avançar" é um retrocesso, uma volta ao passado que gerou a crise atual. Mais um "rol de lavanderia, juntando peças de tudo quanto é jeito". Só para aumentar os bilhões nos ppts. 

O lançamento do Avançar com volumes inflacionados de investimentos para os quais a União não tem recursos não irá melhorar a confiança do mercado. Ao contrário irá aumentar a desconfiança, com o receio de maior intervenção do Estado na economia.

E paira sob a cabeça dos empresários o medo maior: de que o Governo para financiar o suposto Avançar, queira aumentar os impostos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem vai mandar no Estado Brasileiro?

Os favoráveis ao decreto que flexibilizou o porte e posse de armas, o defendem em função do seu conteúdo, prometido ao longo da campanha ...