O Paraguai é aqui

Retornando de Monte Verde pela Rodovia Fernão Dias, resolvemos dar uma parada no Outlet Fernão Dias e o que encontramos lá, na loja de brinquedos e produtos plásticos: o Paraguai.
Já nos acostumamos a encontrar produtos plásticos "made in China" em todas as lojas de departamento. Tanto que ao encontrar cadeiras plásticas relativamente baratas achamos que seriam de origem chinesa. Porém uma caixa de carrinho para criança me chamou atenção. Constava nessa "industria paraguaia".
Ao demonstrar a minha surpresa  a vendedora nos informou que a loja era a varejista de produtos próprios, cuja fábrica foi transferida de Atibaia para o Paraguai.
Já tinhamos notícias sobre a transferencia de empresas do Brasil para o Paraguai, para se beneficiar de custos mais baixos da mão de obra, e menor carga tributária, e aqui mesmo - neste blog - comentamos o tema. Mas não haviamos nos deparado concretamente com produtos "made in Parguay" em lojas brasileiras. 
A relação das indústrias brasileiras com o Paraguai é o mesmo das indústrias norte-americanas, com o México: transferir a produção para esse país para continuar vendendo no mercado norte-americano a preços menores. Para poder concorrer com os produtos prontos importados da Ásia.

A Homeplay, uma fabricante de brinquedos localizada em Atibaia, São Paulo, ao promover a sua modernização e expansão, preferiu se instalar cerca de mil quilometros da fábrica original, atravessando a fronteira, localizando  a nova unidade em Ciudad del Este.  Mais precisamente 1126 km via rodoviária. Praticamente a mesma distância de Atibaia a Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. E um terço da distancia rodoviária com a Zona Franca de Manaus.

Instalou-se com a denominação  XPlast e mantém a sua logística centrada em Atibaia, com a empresa Mitro. Essa é quem, além de centros de distribuição na cidade, tem a loja Espaço kids no outlet Fernão Dias.

Os acionistas controladores da Estrela a mais tradicional e maior empresa de brinquedos do Brasil, criaram uma empresa no Paraguai, onde fabricarão produtos atualmente produzidos na China.  

Para poder concorrer no mercado nacional com produtos de menor preço, muitas empresas nacionais com uma estrutura de logística e comercialização estabelecidas passaram a produzir na China, com empresas terceirizadas. Com o adensamento da cadeia produtiva industrial dentro do Paraguai, a tendencia dessas empresas será a transferência da manufatura terceirizada na China para o Paraguai. Nesse caso não seria a transferência de empregos do Brasil para o Paraguai, mas da China para o Paraguai.

Diante dessa tendencia irreversivel a curto prazo, algumas questões adicionais deverão ser consideradas:

  1. qual será a reação das empresas terceirizadas chinesas com a perda de contratos com as empresas brasileiras?
  2. qual será a reação da China com a eventual redução de importações para o Brasil, num momento em que ela precisa encontrar alternativas de perda de parcelas importantes no mercado norte-americano?
  3. quais serão as estratégias das multinacionais instaladas no Brasil em relação a alternativa Paraguai?
  4. como muitas multinacionais se instalaram na Zona Franca de Manaus para a montagem final dos seus produtos para venda no mercado brasileiro, como ficará a ZFM caso elas se transfiram dessa para o Paraguai?
  5. quais serão as estratégias dos fornecedores de peças e partes de equipamentos e aparelhos montados pela industria instalada no Brasil, com obrigações de conteudo nacional?
  6. como será a logística de partes importadas de fora da América do Sul para abastecer as indústrias paraguaias?
(cont)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Estratégia dos despachantes

Os deputados federais que atuam mais como despachantes comunitários do que legisladores, representando o interesse dos eleitores de um Munic...