quinta-feira, 27 de julho de 2017

Opções sindicais

Depois do susto inicial de que o "Imposto Sindical" foi inteiramente extinto, como grande parte da sociedade quer - vendo apenas os aspectos negativos - começa-se a perceber a realidade. O Imposto Sindical não foi extinto. Apenas deixou de ser obrigatório, passando a ser facultativo. Toda estrutura adicional foi inteiramente mantida, sem qualquer alteração.

Os deputados "meteram uma bala" na cabeça da organização sindical e mantiveram intacto o corpo. 

Os sindicatos patronais tem uma opção básica e inicial: continuar cobrando a contribuição sindical, promovendo a adesão das empresas filiadas, ou deixar de lado a contribuição sindical e cobrar apenas contribuições associativas.

Os pequenos e médios empresários reclamam que o seu Sindicato está voltado para o interesse das grandes empresas e não atendem adequadamente o deles. 

Tendem a ceder mais benefícios aos empregados, para evitar conflitos, greves e tem condições de arcar com os custos.

Diante desse quadro de faculdade da contribuição sindical (conhecido como imposto sindical) uma tendência já detectada é que as pequenas e médias empresas, em grande ou maior parte, deixarão de contribuir. Os Sindicatos ser tornarão - efetivamente - representantes das grandes empresas do setor e as demais tenderão a criar associações próprias para a realização de acordos coletivos.

2 comentários:

  1. O que deveria ocorrer: fim da unicidade sindical.

    ResponderExcluir
  2. Essa continua em pleno vigor. Mas vai acabar por pressão da realidade.

    ResponderExcluir

Transformar a produção agrícola em alimentos para o mundo

A agropecuária brasileira é - sem dúvida - uma pujança, ainda pouco reconhecida pela "cultura urbana". Com um grande potencial de ...