segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Esquerda, direita: categorias ultrapassadas

As categorias de esquerda e direita só persistem no meio acadêmico e dentro da opinião publicada. Não correspondem mais à realidade do pensamento ou visão da maioria das pessoas, da sociedade.

A maioria das pessoas não se define como esquerda ou direita, sendo que muitos não tem a mínima ideia do que seja esquerda ou direita. 
São os "entendidos" que as classificam numa das categorias, em função de posicionamentos objetivos em relação a determinadas questões.
Um exemplo é o nacionalismo. Um dos presidenciais, 
verbera contra a suposta conspiração internacional de países que querem dominar a nossa Amazônia e capturar toda nossa riqueza mineral. Essa posição vem sendo caracterizada como de direita. Mas essa colocação é uma das mais caras dos adeptos do PT, da Venezuela, do bolivarismo, que "desde tempos imemoriais" vêem o fantasma do imperialismo internacional. E agitam a bandeira do nacionalismo, com a tese do "Brasil é dos brasileiros".  E quem for contra é entreguista e de "direita". 
Bolsonaro nessa questão é ultranacionalista, se opondo à venda de terras aos estrangeiros. 
Principalmente aos chineses, que segundo ele, querem transformar o Brasil é colônia deles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Trabalhador não está votando em trabalhador

A partir da constatação numérica de queda da bancada sindical no Congresso Nacional, o que resultou na derrota da visão dos trabalhadores na...