sexta-feira, 19 de maio de 2017

Sobrevida para Temer

A divulgação da gravação clandestina feita por Joesley Batista e entregue ao Ministério Público e ao Ministro Fachin, a troco de "mortadela" torna o mandato de Temer na Presidência insustentável.

Não pelo teor da conversa, que embora não tenha confirmado em detalhes o que foi divulgado pelo colunista do Globo, mostra claramente a enorme estupidez de Temer. Ele que sempre foi cuidadoso em esconder os seus malfeitos caiu "como um patinho" na esparela de um notório bandido que até agora se saiu bem. E Temer virou "pato manco".

A diferença da divulgação inicial com a gravação, indica, embora não vá ser confirmada, que o informante do colunista da Globo teria sido o próprio Joesley. Com uma intenção adicional. Gerar um pânico no mercado e faturar com isso. O que conseguiu. Segundo indícios, ele teria ganho só com a especulação cambial, muito mais do que terá que pagar como multa. No caso dele míseros 250 milhões de reais. 

Temer deixará a Presidência ainda em 2017. O melhor momento para ele será o dia 1 de junho. No artigo explico porque. 

Um comentário:

  1. Realmente a posição de Temer é insustentável,pela sua surpreendente ingenuidade.A reunião consistiu em um relato de Joesley dos crimes que estava praticando. Temer não somente ouviu, mas em alguns momentos deu a ideia de que aprovava. Não houve o episódio de aprovação por Temer da compra do silêncio de Cunha. Criticável a postura da Policia Federal e Ministério Público, que lançaram a denúncia nas vésperas da aprovação das Reformas Trabalhista e Previdenciária.Aliás, todos são funcionários públicos e é sabido que a corporação é totalmente contra a aprovação da reforma previdenciária que irá prejudicar a categoria. Incompreensível também a não punição dos irmãos Batista,que cometeram todos os tipos de crimes e tiveram o desplante de gravar conversa com o Presidente em forma clandestina. De qualquer forma, não há outra opção e a melhor alternativa agora é a renúncia de Temer.

    ResponderExcluir

Esquerda, centro ou direita? (1)

A tradicional análise política divide os partidos políticos em esquerda e direita. E parte dos políticos assume um lado. Quando não assumido...