terça-feira, 14 de julho de 2015

O futuro de longo prazo passa pelo curto prazo

Pensar o futuro do Brasil no longo prazo é preciso. 
Sem se perder nas questões cotidianas no momento atual e das perspectivas de curto prazo. 

O futuro de longo prazo começa num ponto futuro próximo que seria 2018. Quando haverá eleições gerais e os candidatos deverão se posicionar diante de algumas disjunções fundamentais, que definirão os rumos subsequentes:
  • uma economia voltada para dentro ou para o mundo?
  • aceitar ou não uma economia baseada em commodities?
  • avançar ou não para o mundo digital?
Na transição, seja com Dilma ou sem Dilma, como chegaremos a 2018? Qual será o cenário básico para as trajetórias que os candidatos deverão propor para o país? 

Eles ousarão propor? Terão repercussão nos corações e mentes dos eleitores? Ou repetirão mais do mesmo? 

 

Um comentário:

  1. Eu não ouso criar expectativas, só espero mais do mesmo. Nós povo somos muito passivos a desgraça da opinião pública é sempre comprada com alguns pequenos favores. Gostaria que mudasse um pouco essa república tupiniquim com mentalidade de colonizados que não nos deixa ir além. Abraços e saudades

    ResponderExcluir

Moradia da miserabilidade

Moradia não se resume a um teto para viver (ou sobreviver). E um local de repouso do trabalhador e para abrigar a sua família. O responsáv...