terça-feira, 17 de outubro de 2017

A falsa renovação no Congresso

Em todas as eleições para o Congresso Nacional há uma mudança na composição dos deputados federais, acima de 50% o que caracterizaria uma permanente renovação. O que é falso: induzido por números globais, sem análise mais detalhada ou qualitativa. Os novos não são tão novos.
Entre os novos que foram eleitos em 2014, ocupando o lugar dos não reeleitos, podem ser caracterizados como:

  • suplentes promovidos;
  • políticos promovidos;
  • retornantes;
  • substitutos;
  • familiares;
  • novatos de fato
Suplentes promovidos são os que ficaram na suplência em 2010 e conseguiram se eleger como titulares em 2014. 
Políticos promovidos são ex-prefeitos ou ex-deputados estaduais que buscam um patamar superior, não tentado anteriormente.
Retornantes são os que em 2010 não se candidataram por estar em outros cargos, como de Prefeito Municipal, Governador ou fizeram parte de chapa derrotada para as funções executivas e retornaram em 2014. 
Substitutos são os que emergem como candidatos no lugar de seu pai, avó ou lider politico de prestígio, por estarem impedidos pela "ficha limpa", outras restrições, ou por se candidatarem a outros cargos. 
Familiares podem ser substitutos ou não. 
Finalmente os novatos de fato são os que não tem antecedentes político-eleitorais, caracterizando uma efetiva renovação. 
Tomando o exemplo do Espirito Santo os reeleitos em 2014 representariam 40%, 50% seriam uma falsa renovação. A renovação efetiva foi de apenas 10%

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Um novo amor!

Em 10/06/2018 publicamos este "post" Para que se efetive uma ampla renovação do Congresso Nacional duas condições são essenciais...