quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Por que são poucos sindicalistas no Congresso? (2)

Reversão

Será possível uma reversão do quadro atual, em 2018, com a  eventual eleição de uma expressiva bancada sindical na Câmara dos Deputados? Se isso ocorrer, qual será o impacto político dessa nova participação sindical? 

A questão preliminar é se líderes sindicais conseguirão ser eleitos deputados federais, em 2018, tendo os trabalhadores da sua categoria, como principal base eleitoral?

Os sindicatos, para atrair associados, concentraram se na oferta de serviços assistenciais, recreativos e outros, despriorizando a luta política.

Essa luta política sempre envolveu conquistas de benefícios ou condições de trabalho, mediante leis e regulamentos públicos, principalmente de natureza federal. 

A conquista do poder pelo PT e Lula na Presidência, na prática, acabou promovendo a desarticulação política das lideranças sindicais que acabaram se acomodando e desmobilizando a sua luta política.

O que os líderes sindicais, candidatos a deputados federais vão ou podem oferecer (ou prometer) aos eleitores, como atuação como deputados federais?

Por que os trabalhadores da categoria votariam no seu líder sindical e não em outros, que lhe apresentam outras propostas? Que lhes parecem melhores.

Por que outros eleitores, fora da categoria do candidato votariam nele?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Trabalhador não está votando em trabalhador

A partir da constatação numérica de queda da bancada sindical no Congresso Nacional, o que resultou na derrota da visão dos trabalhadores na...