terça-feira, 8 de novembro de 2016

Liberais x conservadores

Ainda como minoria dentro da sociedade e fora do poder político central, as lideranças evangélicas vem buscando, pelo caminho eleitoral, a conquista do poder. A cada eleição municipal aumenta o número de vereadores e Prefeitos, ligados a igrejas evangélicas. Tem aumentado também as bancadas evangélicas nas Assembleias Estaduais e no Congresso Nacional.

Não se trata apenas de opção religiosa pessoal, mas o uso dos adeptos da igreja como base eleitoral. Não há preferências partidárias, com os candidatos buscando os partidos que lhe abriguem. Não há uma coincidência ideológica entre a igreja, o candidato e o partido.

PRB e PSC seriam partidos inteiramente dominados pelos evangélicos, mas as bancadas evangélicas não são formadas apenas por deputados desses partidos. Eles estão em todos os partidos.

Não está claro qual é o projeto de poder das igrejas evangélicas. Tampouco qual é conteúdo programático do projeto. Aparentemente defendem um ideário conservador, em contraposição aos movimentos liberais, assumidos mais pela esquerda.
Essa disjunção ficou clara na eleição para a Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro.

A gestão de Marcelo Crivella, na frente da Prefeitura Municipal,  vai clarear esse projeto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Um bom ou mau projeto? (4) - Reindustrialização

Dentro da perspectiva de que o Brasil para se tornar um país desenvolvido precisava ter uma indústria própria. Até os anos 80 a indústria fo...