terça-feira, 22 de novembro de 2016

O último reduto: os "bolsa-famílias"


Os "bolsa-famílias" é uma denominação aqui adotada para caracterizar os beneficiários dos programas sociais criados ou expandidos pelo PT, mediante a transferência de recursos em espécie.
As pessoas desse segmento social passararam da miséria para a pobreza, ganhando capacidade de consumo de bens monetários, isto é, bens comprados em moeda. São profundamente gratos ao PT e idolatram Lula, mostrado a eles como o grande benfeitor. Obrigados a votar, Lula é sempre a primeira opção. A segunda é quem ele indica ou apoia expressamente. Lula é o seu ídolo e qualquer colocação negativa sobre ele é interpretado por essa população, como intrigas, invejas, acusações de inimigos. É e será para a maioria dela, um santo imaculado. Se for preso será um mártir. Como foi Jesus.

Em 2014 os bolsa-famílias rurais foram submetidos ao terrorismo eleitoral, com o discurso de que a oposição iria acabar com o programa. Foi eficaz e Dilma foi reeleita.

No entanto, o PT não estando no controle do Governo Federal e, portanto, da gestão dos programas, a estratégia de ameaça da extinção dos programas terá menos força. Para o PT resta apenas o carisma da Lula.

Nas áreas urbanas, o cenário é outro. Não foram apenas os comerciantes e prestadores de serviços que se beneficiaram da injeção de recursos dos programas sociais nas comunidades. Há uma forte presença do tráfico e das milícias.

Não está claro ainda o impacto político-eleitoral dessa "captura" pelo tráfico e milícias das comunidades dos bolsa-famílias urbanos. Os indícios da eleição municipal de 2016 são de que foram desfavoráveis ao PT.

Um comentário:

  1. SE AINDA NÃO PERDEU DE TUDO.....VEM PERDENDO DIA À DIA !!!!! SE TEMER E DÓRIA FIZEREM ALGUMA DIFERENÇA PARA ESSA NOVÍSSIMA CLASSE MEDIA...CREIO QUE, O PT NÃO TERÁ MAIS CHANCES ..... !!!!!!!

    ResponderExcluir

Esquerda, centro ou direita? (1)

A tradicional análise política divide os partidos políticos em esquerda e direita. E parte dos políticos assume um lado. Quando não assumido...