quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Cadeias globais (2)

A multinacional ao estabelecer uma unidade produtiva no país pode fazer segundo três concepções:
  1.  uma unidade para suprir a demanda nacional - com eventuais exportações de excedentes - como uma etapa final da cadeia produtiva;
  2. uma plataforma de produção supranacional, atendendo ao mercado doméstico e a mercados externos, preferencialmente regionais;
  3. uma plataforma de exportação, quando o mercado interno é fraco, mas tem condições de custo menores, tanto de logística, como de mão-de-obra e tributários.
 No Brasil a opção preferencial é pela primeira o que resulta numa ampla inserção nas cadeias produtivas e na baixa inserção nas cadeias globais de suprimento. 


As razões principais estão nas políticas industriais promotoras do conteúdo nacional e na resistência da esquerda e dos trabalhadores contra as plataformas de exportação. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Esquerda, centro ou direita? (1)

A tradicional análise política divide os partidos políticos em esquerda e direita. E parte dos políticos assume um lado. Quando não assumido...