sábado, 3 de junho de 2017

De protagonistas e atores

Estamos enfrentando dentro do Brasil uma crise política e uma crise econômica. Essa realidade, no entanto, acaba sendo caracterizada como uma crise política e econômica do Brasil. Tomar o Brasil como unidade é uma simplificação de análise, principalmente, de quem o vê fora do país. 

A realidade é que as crises impactam e afetam as vidas e decisões pessoais. A crise política envolve a decisão de um pequeno número de pessoas que são os políticos. Não afeta diretamente a maioria da população, tampouco dá a ela poder de decisão. Embora haja o movimento pela eleição direta. Que aquela minoria não deseja que ocorra. Como é ela que detém o poder, a eleição direta é apenas um sonho, com pequeno apoio popular. 

Já a crise econômica afeta e sua evolução depende da maioria ou da totalidade da população. No modelo econômico brasileiro, o principal motor da economia é o consumo das famílias. Se essas passarem a consumir mais, a economia irá crescer. Se se mantiverem retraidas, por várias razões, a economia continuará regredindo. Mas também se consumirem demais irão recrudescer a inflação e voltarão a consumir menos, determinando nova retração. 

Mas não são as únicas protagonistas do processo. Os ofertantes dos produtos poderão agir no sentido de impulsionar as suas vendas, com aceitação pelos compradores. E os investidores poderão fazer investimentos em infraestrutura, voltados para resultados difusos e a longo prazo e não vinculados às vendas imediatas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário