segunda-feira, 3 de agosto de 2015

A contaminação pelo vírus da corrupção

O Brasil  foi infestado pelo vírus da corrupção. Pior que a dengue, a malária ou o ebola, ele se instaura silenciosamente e só causa alarde quando já se transformou numa epidemia.
A principal população atingida é a dos políticos, mas todas as autoridades públicas, no três níveis de Poder, estão sujeitas à contaminação e alguns já o foram.

A esperança do Brasil está na emergência de uma nova geração e juízes e promotores, analistas dos tribunais de contas e outros servidores públicos com poder de Estado que ainda são idealistas, acreditam que podem livrar o país do vírus, e poderão subir na carreira sem serem contaminados.

É uma grande oportunidade histórica mas que pode ser mais uma vez perdida. O que garante que eles não serão contaminados? Ou que com a sua visão justiceira e higienista não levam à inquisição e a uma ditadura?

A contaminação pelo vírus da corrupção  pode ser favorecida ou reprimida pelo ambiente. Muitas empresas privadas e mesmo Governos limitam o valor do recebimento de presentes, obrigando o seus funcionários a não aceitarem ou devolverem. Alguns são radicais e obrigam a devolução, qualquer que seja o valor. 
(ver o artigo completo na coluna artigos)





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Trabalhador não está votando em trabalhador

A partir da constatação numérica de queda da bancada sindical no Congresso Nacional, o que resultou na derrota da visão dos trabalhadores na...