terça-feira, 1 de setembro de 2015

Um golpe inesperado

O Governo Dilma deu um nó no Congresso. Com um lance inesperado. Mandou uma proposta orçamentária, com uma receita ainda superestimada e com um déficit total de R$ 30,5 bilhões.

Usualmente quando a proposta chega no Congresso, os congressistas inflam mais as despesas e para a sua cobertura superestimam mais a receita. Dessa forma o orçamento é uma peça de ficção, em que não se alcança a receita prevista e as despesas são contingenciadas.

Para 2016 o Governo inverteu o jogo e transferiu para o Congresso a responsabilidade de ajustar as despesas.

Não conseguindo consenso, não aprovará a peça orçamentária até 31 de dezembro de 2015, e deixará para aprovar em 2016.

Diante da situação de crise isso interessa ao Executivo. Tendo que conter as despesas, irá executar em 2016 o orçamento de 2015, com a liberação de 1/18 avos das verbas deste ano. Que já estarão defasadas em função da inflação.

Com a inversão do jogo, o Congresso está perplexo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário