quarta-feira, 13 de abril de 2016

A direção dos ventos

Os ventos começaram a soprar mais forte, numa direção mais perceptível. E os pássaros que os estavam aguardando começaram a voar, seguindo essa direção. Até mesmo alguns que estavam voando em sentido contrário, estão revertendo a direção. E provocando a revoada. No solo o efeito manada.

O fato relevante que provou o aumento de intensidade do vento foi a demonstração  de desconfiança de deputados integrantes da Comissão Especial do Impeachment em relação às promessas do Governo. 

O mais importante é seguir a direção do vento. Eles querem estar com o lado vencedor. Ou, ao contrário, não querem ficar com o lado perdedor.

E ai entra outro fator. O favorito - neste momento - já se assume como vencedor e começa a negociar as condições do seu governo. Para indignação, estarrecimento, irritação  e desespero da Presidente, que percebe a derrota iminente. E denuncia uma suposta traição e conspiração.

Temer passou a ter uma motivação pessoal adicional, típica de um político. Uma disputa com um adversário. Esse não é a Presidente, mas o ex-presidente Lula. 

Lula parece já ter desistido. Em vez de ficar no corpo a corpo com os deputados, em Brasília, preferiu ir ao Rio de Janeiro, para ter o apoio dos seus correligionários e  abraçar Chico Buarque.

Desistiu, de momento, da luta. Para mobilizar a resistência com o objetivo de voltar ao poder em 2018.


Dilma não percebeu que foi inteiramente abandonada.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Um bom ou mau projeto? (4) - Reindustrialização

Dentro da perspectiva de que o Brasil para se tornar um país desenvolvido precisava ter uma indústria própria. Até os anos 80 a indústria fo...