segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

As três paulicéias

Dentro de uma secular cidade partida, somente uma das três cidades tem o que comemorar. 
A cidade da riqueza que só se movimenta com o trabalho, aproveita para ir às praias, aos refúgios do interior ou não sair dos seus condomínios de alto padrão. Aproveita para descansar, não para comemorar.

A cidade da pobreza continua abandonada, como em todos os anos anteriores. Agora só cresceu com a crise e nada tem a comemorar.

Já a cidade da medianidade ou da classe média é a preferida do atual Prefeito (um discípulo de Aristóteles) tem muito a comemorar. É cada vez mais a dona dos espaços públicos privilegiados da cidade, está mais verde, com mais ciclovias e muitas atrações culturais. 
E atrai a pobreza que sai dos seus redutos onde mal vivem, para também desfrutar da festa da classe média. 
Só faltou ao Prefeito conceder a tarifa zero, pelo menos no dia do aniversário da cidade. 

Um comentário:

  1. A cidade de qual classe média, Jorge? Daquela que vive nos bairros, cada vez mais abandonados, e cuja qualidade de vida é afetada continuamente pelo pensamento do "prefeito maluqinho", com certeza não é.

    ResponderExcluir