segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

As três paulicéias

Dentro de uma secular cidade partida, somente uma das três cidades tem o que comemorar. 
A cidade da riqueza que só se movimenta com o trabalho, aproveita para ir às praias, aos refúgios do interior ou não sair dos seus condomínios de alto padrão. Aproveita para descansar, não para comemorar.

A cidade da pobreza continua abandonada, como em todos os anos anteriores. Agora só cresceu com a crise e nada tem a comemorar.

Já a cidade da medianidade ou da classe média é a preferida do atual Prefeito (um discípulo de Aristóteles) tem muito a comemorar. É cada vez mais a dona dos espaços públicos privilegiados da cidade, está mais verde, com mais ciclovias e muitas atrações culturais. 
E atrai a pobreza que sai dos seus redutos onde mal vivem, para também desfrutar da festa da classe média. 
Só faltou ao Prefeito conceder a tarifa zero, pelo menos no dia do aniversário da cidade. 

Um comentário:

  1. A cidade de qual classe média, Jorge? Daquela que vive nos bairros, cada vez mais abandonados, e cuja qualidade de vida é afetada continuamente pelo pensamento do "prefeito maluqinho", com certeza não é.

    ResponderExcluir

As dificuldades de Dória

Ao contrário do que alguns acham, João Agripino não foi eleito Prefeito de São Paulo, pelos votos anti-pt ou anti-esquerda. Foi eleito com...