quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Você sabe o quanto está pagando de juros nas suas compras?

Para sair da recessão, é preciso consumir mais, sem inflação. Simples assim.

Mas como?

Depende do consumidor e do comércio. Não pode ficar na dependência do Governo.


O consumidor está sendo enganado o tempo todo com as promoções de venda a prazo sem juros. Isso não existe, isso não é real. É um crime contra as leis econômicas.

Toda venda a prazo tem juros. Se esses não estão nas prestações, estão no preço. 

Portanto, o preço a vista deveria ser substancialmente menor do que o preço à prazo.

Mas o sistema financeiro inventou um mecanismo de escamoteação do consumidor que é a compra parcelada com cartão de crédito. 

E para isso tem o apoio da judicialização da economia, com o Ministério Público e o Judiciário criminalizando a diferença de preço entre a venda a dinheiro e com cartão. É um profundo e nafasto equívoco.

A sociedade é sensibilizada com a carga tributária e o comércio criou o "impostõmetro". 


Mas não criou o "jurômetro". O quanto o brasileiro pagou de juros em 2015? O jurômetro que a FIESP inventou é dos juros pagos pelo Governo. Não dos juros pagos pelos consumidores, sem perceber que está pagando.

O sistema financeiro transformou uma modernidade, num sistema de extorsão "sem dor". 

A saída para a reanimação da economia está na reação do consumidor  comprando mais à vista, com descontos.

Deve haver preços diferenciados entre compra com cartão: entre cartão de crédito e de débito. 

O consumidor tem que ter o direito a um preço menor na compra pelo cartão de débito.  

2 comentários:

  1. Concordo plenamente Jorge. Vivemos época de sublimação total dos valores, das leis e da inteligência. 14 vezes sem juros é ilusão. Parcelar o preço à vista em 3 x no cartão de crédito é outro absurdo. A lei e as instituições, inclusive e principalmente as bancárias, fazem a todos de idiotas.

    ResponderExcluir
  2. Concordo plenamente Jorge. Vivemos época de sublimação total dos valores, das leis e da inteligência. 14 vezes sem juros é ilusão. Parcelar o preço à vista em 3 x no cartão de crédito é outro absurdo. A lei e as instituições, inclusive e principalmente as bancárias, fazem a todos de idiotas.

    ResponderExcluir