domingo, 14 de agosto de 2016

Esgotamento centralizado, descentralizado e distribuido

Os sistemas elétricos estão caminhando do predomínio absoluto do modelo centralizado para os modelos descentralizados e distribuídos.

O mesmo deverá ocorrer com os sistemas de água e de esgotamento sanitário, não obstante as resistências das companhias estaduais de saneamento. Que querem manter o monopólio da prestação desses serviços nos municípios onde detém a concessão.

Será uma luta contra as tendências mundiais e do mercado, diante do enfraquecimento da capacidade de investimento do setor púlico.

Dentro do modelo centralizado  e público a universalização do saneamento básico se  prolongará indefinidamente gerando questionamentos da sociedade com relação à sua persistência.

Quanto mais cedo a sociedade fizer esse questionamento, mais rapidamente os esforços em pesquisa & desenvolvimento serão desenvolvidos para viabilizar técnica, econômica e ambientalmente as soluções. Como ocorreu com o setor de energia. 

Mas quebrar paradigmas, vencer interesses consolidados não será fácil.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A dianteira do indefinido

Nenhum candidato se elege. Ele é sempre eleito. Não é ele - o candidato - que decide se quer ou não se eleger. O único poder efetivo, que de...