sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Os legados dos grandes eventos

O Brasil batalhou e conseguiu sediar os dois maiores eventos esportivos mundiais: a Copa da FIFA, em 2014 e as Olimpiadas em 2016.
Investiu, realizou com sucesso os eventos, mas que resultados efetivos obteve? E que legados deixaram ou vão deixar?


A torcida brasileira é o oposto do espírito olímpico: "o importante não é vencer, é competir". O público não vai para acompanhar as competições. Vai para  torcer. Aplaudir e vaiar. Animar os nossos e vaiar os adversários. Isso vai tirar a atenção deles? Esse é o propósito mesmo. Não é civilizado? Com que parâmetros? 

Além da eterna beleza da paisagem carioca, a imagem da violência urbana que ficou em xeque, o mundo ficou sabendo que o espectador brasileiro é extremamente ativo, diferente de outros povos. O que é falso.
Mas para o mundo as Olimpiadas do Rio de Janeiro ficarão marcadas por uma diferença em relação a todas as anteriores:  o público é protagonista. O Brasil vaia. 


Serão marcadas como as Olimpiadas da vaia. O que não aconteceu antes e não vai se repetir nas próximas edições.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Esquerda, centro ou direita? (1)

A tradicional análise política divide os partidos políticos em esquerda e direita. E parte dos políticos assume um lado. Quando não assumido...