terça-feira, 30 de agosto de 2016

O carro veio depois

Não foi o carro que inspirou o modelo da cidade funcional, com bairros e imóveis com uso especializado. Mas ao estabelecer as áreas com funções específicas ligadas por vias públicas abertas, gerou um grande mercado para o automóvel. A criatura engoliu o criador e a cidade funcional virou a cidade do carro. O que é fortemente contestada atualmente.

Uma alternativa é a urbanização orientada pelo transporte, com adensamento em torno de corredores de transporte coletivo. Um exemplo parcialmente bem sucedido é em Curitiba. E tem um caso mal sucedido, em Goiania. Ambos concebidos por Jorge Wilheim e desenvolvidos por Jayme Lerner.

A outra é a rede de centralidades, com vários planos, mas ainda com implantação incipiente.



A alternativa é o uso misto seja de bairros, como de quadras e de imóveis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O perfil dos novatos (2)

Os novatos estão fascinados com o suposto poder da rede social e se concentrarão no meio virtual.  Poucos se dedicarão aos tradicionais mét...