quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Perigo iminente

O Ministro Marco Aurélio teve razão ao conceder a liminar ao pedido da Rede de Sustentabilidade para afastar Renan Calheiros da presidência do Senado, em função de perigo iminente.
Só que foi um  tiro no pé. Ao tomar a decisão extemporânea gerou uma reação corporativa do Senado, contra o Poder Judiciário.
Ao não ser confirmado pelo plenário do STF o afastamento, Renan acelerou, colocou em pauta diversos projetos que os magistrados são contra. E o Senado aprovou todos, efetivando o perigo que Mello tentou evitar. 
Conseguiu fazer aprovar a PEC 55, aprovou medidas contra os supersalários e só não votou o projeto de abuso de autoridade, em função de um suposto "acordão" 

No retorno do recesso parlamentar e judiciário, o confronto deverá prosseguir.

Dessa guerra fratricida entre corporações o Brasil sairá ganhando. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Um bom ou mau projeto? (4) - Reindustrialização

Dentro da perspectiva de que o Brasil para se tornar um país desenvolvido precisava ter uma indústria própria. Até os anos 80 a indústria fo...