sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

E se Temer fica?


Temer está conduzindo uma pauta liberalizante. O seu foco, a sua prioridade, são alterações legais. São as aprovações pelo Congresso das reformas estruturais reclamadas pelo 'mercado'.

Parte do seu perfil e experiencia como articulador e negociador parlamentar. E tem sido bem sucedido nesse mister, embora sem satisfazer o mercado e a sociedade.

A sociedade esta insatisfeita com a crise econômica e social.

A esperança da oposição é que com o aumento da impaciência a opinião publicada volte ás avenidas e pressione pela saída antecipada de Temer. Não interessa tanto por quem seja substituto. O que interessa é conter a onda liberalizante conduzida por Temer.

O que mais incomoda a oposição não é a suposta fraqueza e trapalhadas do Governo Temer. É o seu sucesso, conseguindo aprovar medidas impopulares, como a PEC do Teto, aumento da DRU e outras medidas. E, nessa toada irá aprovar mini-reformas trabalhistas e previdenciárias. Poderá ainda aprovar as mini-refomas tributárias e política.

A efetiva privatização do mercado, significa 'reduzir o leite das tetas do Estado', com o qual muitas empresas privadas se acostumaram, sendo que algumas não sobreviverão sem os subsídios e proteções. Significa minimizar o volume de obras estatais que serviram de fonte para o maior esquema de corrupção organizado no mundo. Significa ainda retirar proteções legais de trabalhadores remetendo-os á negociações entre patrões e empregados.

Além da oposição política os grupos que irão perder beneficios estão temerosos.

Se Temer fica, como esses grupos vão agir no pós-Temer? 






Nenhum comentário:

Postar um comentário