quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

O domínio da cultura obreira

Ao longo de pelo menos 70 anos se desenvolveu no Brasil uma cultura dominante de obras públicas, fruto de uma conjugação  de interesses.
De um lado emergiram empreendedores que perceberam a oportunidade de 'ganhar dinheiro' executando obras publicas contratados por Governantes desejosos em melhorar a infraestrutura. 

Essa associação espúria entre os políticos e as 'empreiteiras' irrigou amplamente as campanhas eleitorais, com propinas correndo por canais de caixa dois. E promoveu o desenvolvimento de grandes empresas privadas que se posicionaram entre as maiores do Brasil.
Tornando-se poderosas economicamente, ampliaram o leque de suas áreas de engenharia, indo muito além da engenharia civil. 

Esse grande modelo, o grande pilar dos investimentos públicos, dos investimentos em infraestrutura, tendo como fundação a propina desmoronou com a 'Operação Lava Jato', que atacou a fundação estabelecida em 'mar de lama'.

Dada a enorme necessidade de realização de investimentos em infraestrutura, o grande desafio brasileiro é "com que modelo"? Com que protagonistas? 


Um comentário:

  1. Uma das questões mais difíceis de avaliar é como vem crescendo essa exponencial da corrupção de obras desde a construção de Brasília, uma das raízes de todo esse mal. Cifras até então inimagináveis. A reação a isso tende a obedecer a lei da física, uma vez que a 8.666 não deu conta de baixar os custos das empreiteiras. Tende a ser igual e contrária: radical!

    ResponderExcluir