sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Serviços "tradables" e "nontradables"


"Tradables" são produtos comercializados mundialmente, sem fronteiras, de tal forma que os produtos locais enfrentam a concorrência dos produtos de fora.
"Non tradables" são produtos vinculados a um local, como a construção de uma casa, de uma usina hidroelétrica ou um serviço de transporte urbano de passageiros. Os serviços às pessoas ou às famílias tem que ser prestados onde os clientes estão, não estando sujeitos à concorrência externa.

Mas a tecnologia da informação vem mudando essa conceituação. Um serviço pode ser prestado, mesmo distante do usuário. 

Outra mudança substancial está na visão concorrencial a partir dos gastos alternativos do consumidor ou usuário final. Isso fica evidente na avaliação da concorrência dos serviços turísticos. A concorrência não é entre um hotel e outro, mas de um polo receptor de turistas e outro, sendo que podem estar dentro do mesmo país ou em países diferentes. 

Um turista brasileiro ao se hospedar num hotel estrangeiro está importando serviços. Ao contrário um turista estrangeiro se hospedar num hotel brasileiro, corresponde a uma exportação por parte desse. É um comércio externo de serviços, envolvendo bens materiais fixos (o imóvel do hotel), mas que não passa pelas alfândegas.

A atividade de turismo não compreende apenas os serviços prestados aos turistas no Brasil, mas os gastos dos turistas brasileiros no exterior e, nessa perspectiva, aquela é altamente deficitária, influindo negativamente na formação do PIB.


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O alcance da opinião publicada

A opinião publicada está muito indignada com os últimos acontecimentos políticos, em que vem sendo "derrotada" sucessivamente.  ...