quinta-feira, 7 de julho de 2016

Exportar para empregar (9)

Mesmo com o substancial aumento do dólar frente ao real, no ano de 2015, as multinacionais mantiveram uma posição de cautela. Aparentemente esperando pelo desfecho do processo de impeachment da Presidente  Dilma Rousseff.

Supostamente a visão prospectiva era de que caso ela permanecesse no cargo,  voltaria a tentar retomar a estratégia da "nova matriz econômica", como saída para a crise econômica. 

Diante dessa perspectiva as multinacionais assumiram que essa política aqueceria o mercado interno, absorvendo a capacidade instalada. Não precisariam, de imediato, ampliar o seu mercado para o mundo.

Agora a  percepção do mercado  é de que até o final de agosto, a Presidente estará definitivamente afastada.

Em função dessa perspectiva agora  estariam buscando o mercado externo, com duas conduções ou estratégias diversas:
  • as exportações para o mercado sul-americano e quiçás o latino-americano, que incorpora o México, como um importante mercado são decididos pela direção regional;
  • as exportações supra latino-americanas seriam definidas pela matriz da multinacional



Nenhum comentário:

Postar um comentário