segunda-feira, 4 de julho de 2016

O contragolpe da corruptocracia

Aproveitando a grande aceitação da sociedade pelas  medidas moralizadoras na escolha dos quadros diretivos das estatais, a "corruputocracia" aproveitou a oportunidade para incluir na lei uma regulamentação própria de licitações nas estatais, consagrando uma medida que facilita o superfaturamento ou sobrepreço.


Faculta que se contratem obras sem um orçamento bem definido. Em vez de combater a prática usual de acrescer enormemente os preços finais das obras institucionaliza a prática.

O resultado desse processo é mostrado pelas reportagens do Jornal "O Estado de São Paulo" de ontem (04/07/2016), com cerca de 5 mil de obras paradas e destaque para as obras inacabadas da Valec (Norte Sul e Fiol).

As revelações iniciadas pela Operação Lava-Jato bem mostram o porque da pressa nas licitações e contratações.  
Não é para assegurar uma conclusão mais rápida das obras e da sua colocação à disposição da sociedade. É para antecipar a apropriação da propina, por parte das autoridades extorsoras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário