sexta-feira, 3 de março de 2017

Temer ultrapassará a pinguela de 2017?

Michel Temer ainda tem 22 meses de Governo. Já conseguiu vencer 10 meses, sob intenso bombardeio por  diversas frentes, seja para retirá-lo da Presidência, como para impedí-lo de governar. 
Não se contentou em completar um mandato para o qual foi eleito Vice-Presidente e substituto eventual da Presidente. Em tese deveria dar sequência ao programa de governo da chapa eleita. Não se propôs a isso, buscando executar um programa de governo próprio. Sob o título "Ponte para o Futuro".

Não seria uma ponte sólida, mas uma "pinguela", como avaliou FHC. Frágil, desgastada.

Assumindo com baixo respaldo popular, não buscou esse o apoio mediante ações populistas. Decidiu implantar medidas impopulares, mas reclamadas pela sociedade organizada para recuperar um país "quebrado". 
Temer assumiu com a visão de promover as reformas estruturais. São medidas impopulares que os governantes anteriores não conseguiram implantar por não terem a adesão necessária do Congresso Nacional. O que Temer vem construindo e já conseguiu votar a emenda constitucional do teto de gastos públicos. E pretende aprovar as reformas previdenciária e trabalhista.

Por serem impopulares continuará com baixa popularidade.

Acresce à reação popular negativa, o uso (e abuso) dos métodos tradicionais da política brasileira, para conseguir a aprovação, das medidas necessárias.

Muitos querem as mudanças, mas sem sujar as mãos. Temer já tem as mãos sujas e vai continuar com elas. Até sujá-las mais para tentar consertar o país. 

(cont)

Nenhum comentário:

Postar um comentário