sábado, 12 de dezembro de 2015

Ler o que está escrito

Um dos lemas deste blog é ler o que não está escrito. Mas, atualmente, ler o que está escrito é complexo: tantas são as distorções de quem interpreta o que está escrito.

A midia ouve, edita e só põe a público o que ela acha que interessa ao público. 


O que Renan Calheiros disse é o que está na lei e na Constituição. Quem decide pelo impeachment é o Senado, desde que a Câmara mande o processo para ele, por decisão de 2/3 dos deputados. Se não chegar aos 2/3 o processo é arquivado. Ele leu o que está escrito na Constituição.


O Ministro Fachin, provavelmente pressionado pelo Planalto disse que iria definir o rito. Foi bobagem e por isso está mudando de assunto.

Desviou o assunto para o momento em que a Presidente terá que se afastar do cargo. Ele sabe muito bem que essa dúvida não existe. Está claro na Constituição: quando é instaurado o processo no Senado. Leu, mas diz que não leu.

O Advogado Geral da União, não leu direito (ou faz de conta que não leu) para dizer que o que está escrito não vale. 

Ele coloca dúvidas onde não existem, para confundir o processo.

2 comentários:

  1. É a politicagem em sua forma mais que perfeita. Esse país é uma piada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda não meu caro. Espere mais avanços para alcançar a perfeição do cinismo. Comentarei amanhã.

      Excluir