A luta por influência do clã Bolsonaro

Os "filhos do capitão" tem grande influência sobre o pai, mas estão em permanente ação para eliminar concorrentes no espaço de influência sobre o agora Presidente da República. 
Gustavo Bebianno, advogado do então deputado federal Jair Bolsonaro, assumiu grande protagonismo durante a campanha, organizando uma vitoriosa campanha do partido capturado pelo então candidato. Não só Jair Bolsonaro foi eleito, com 58 milhões de votos, como o PSL conseguiu a eleição de 4 Senadores, 52 deputados federais e um grande número de deputados estaduais. 
Bebiano ainda agregou o empresário Paulo Marinho, como o principal financiador, fazendo-o primeiro suplente do então candidato ao Senado, Flávio Bolsonaro. 
Com Jair Bolsonaro eleito, os filhos atuaram para afastar os seus concorrentes no círculo de influência sobre o pai. Não conseguiram, num primeiro momento, afastar Bebianno, mas eliminaram Paulo Marinho. Magno Malta foi outro eliminado. Tentaram afastar o General Mourão, mas estão tendo que o "engolir", pela sua condição de Vice-Presidente. Mas atuam para reduzir os espaços dele. 
Bebianno na disputa com os filhos venceu - temporariamente - Carlos Bolsonaro no comando das comunicações do governo, mas saiu enfraquecido da disputa. Agora os filhos voltaram à carga, com a denúncia do uso de candidatas fantasmas. 
Provavelmente, dessa vez vão conseguir vencer a disputa e tentarão "derrubar" todos os concorrentes civis do "circulo íntimo". Onyx Lorenzoni, que se cuide. E João Dória, que não se meta. 
Por enquanto não irão enfrentar os superministros, mas se eles titubearem, serão alvejados. 
O maior desafio dos filhos do capitão é enfrentar as estrelas nas fardas, ainda que no armário.

(cont)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A vontade do Soberano submetida ao Senado Federal

O anúncio pelo Presidente Bolsonaro da indicação do filho Eduardo para a embaixada do Brasil nos EUA, decorre do voluntarismo do soberano, o...