Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2014

Opinião Públicada virtual

Não sei se há algum medidor para avaliar o tamanho da opinião publicada virtual. É formada pelas pessoas que vêem jornais e revistas apenas na forma visual e não na forma impressa, vêem os vídeos, lêem o que interessa, com notícias sumarizadas e com pouca visualização dos artigos ou comentários. A sua opinião é formada pelas pílulas do noticiário.
A opinião publicada virtual é manifesta, pelos comentários colocados em relação às matérias. 
Diversamente dos jornais impressos que só podem dedicar um espaço pequeno para a opinião dos leitores, com um grande peneira por parte dos editores. A restrição de espaço e a necessidade de seleção acaba se transformando numa forma de censura da opinião não publicada.
Já na internet cada comentário, cada artigo num blog, ou notícia  pode receber dezenas de comentários, às vezes centenas, sem limitações. Isso faz com que haja muito lixo, ofensas, termos inadequados, mas reflete uma parte da opinião publicada. 
Para conhecer melhor a opinião publicada vir…

Por que queimar os ônibus?

Um ônibus queimado por dia. É o que está ocorrendo em janeiro deste 2014, na Região Metropolitana de São Paulo. Segundo as interpretações divulgadas pela mídia, oferecidas pela autoridades seriam retaliações a prisão, morte de criminosos, ações violentas da Policia Militar ou ainda atropelamentos de moradores.
São tratadas como ações isolados de vandalismo, por pequenos grupos de vândalos, muitos deles menores.
No entanto, a reiteração e o volume das ocorrências requerem avaliações melhor das suas razões, principalmente tendo em vista as repercussões.
Ocorrem em periferias e os primeiros a serem prejudicados são os moradores que tem uma piora do serviços, com a redução de ônibus em circulação, ainda que tenham sido das reservas técnicas. Agora piora com a não circulação dos ônibus em horários mais avançados. Os moradores vão ficar ainda mais isolados e alguns com problemas de emprego e trabalho.
A destruição dos ônibus prejudica os planos do Prefeito, que tem na melhoria dos serviços por …

Padrão FIFA x padrão cubano

Diante das manifestações de rua reclamando por padrão FIFA para a saúde pública, o Governo respondeu com o programa "Mais médicos". 
Esse programa já está melhorando o atendimento de parte da população, mas nada tem a ver com o "padrão FIFA". O programa introduz o "padrão cubano".
O "padrão FIFA", na saúde requer investimentos e tecnologia. O "padrão cubano" compreendo o atendimento com médicos, com poucos recursos tecnológicos, baseados mais na sensibilidade e experiência pessoal. Satisfaz quem não tem nenhum atendimento médico, por falta de profissionais, mas não atende a quem está em situação de urgência ou emergência. Não atende a quem precisa de atendimentos de segundo nível ou ainda mais complexos.
A população dos "grotões" e das periferias mais carentes estão e ficarão satisfeitos com o "Mais médicos".
Mas não foram eles que estiveram na Av. Paulista em junho do ano passado, com cartazes pedindo "padrão FIF…

Estratégias perigosas

Não creio que haja um pensamento estratégico das autoridades para enfrentar as prováveis manifestações contra os gastos da Copa, quando da sua realização em junho e julho deste ano.
Mas se há, a estratégia foi efetivada, apesar de alguns exageros.
O objetivo principal é esvaziar as manifestações, limitando-as à participação de ativistas e dos black blocs. Não se tem mais como objetivo impedir as manifestações, porque o Governo admite que elas serão inevitáveis. 
Para isso há duas frentes: uma primeira é sua caracterização. A outra é de intimidação das massas de manobra.

A Rede Globo insiste que as manifestações são contra a Copa. Uma parte é, mas outra - provavelmente a principal - é contra os gastos com a Copa: não contra ela. A maioria é favorável à realização da Copa no Brasil. Mas se opõe à sua preparação e aos gastos, uma parte principal com recursos públicos. 
A reiteração de que as manifestações são contra a Copa, as autoridades, a FIFA e seus patrocinadores, com o apoio da mídia qu…

O que aconteceu em São Paulo, no final de semana

Em todo o Brasil pessoas estão tentando mobilizar a população contra os gastos com a Copa no Brasil. Através das redes sociais fizeram as convocações que, como sempre receberam milhares de adesões, mas na hora H aparecem apenas alguns. Nas diversas cidades houve reunião de poucas centenas ou apenas dezenas de participantes.
Só em São Paulo, que coincidia com o aniversário da cidade, uma dia feriado e com diversas comemorações, houve uma movimentação e participação maior.
O grupo que convocou a manifestação ocupou o vão do MASP, marcado como início da caminhada, na véspera e preparou os cartazes e faixas.


Cerca de 50 manifestantes acamparam no local para o que chamaram de "Primeiro Grande Ato contra a Copa do Mundo". O grupo que se autodenominou "Se não tiver direitos não vai ter Copa" . De acordo com o manifesto divulgado pelo grupo, o movimento é "contra os gastos bilionários da Copa e a favor de um melhor sistema de transporte, moradia e saúde para a população.&q…

Planejamento estratégico - manifestações anti s manifestações contra a Copa.

Os Governos estão convencidos de que haverá manifestações de rua anti-Copa nas doze cidades sede e ainda em alguma outra.
Precisam-se preparar para enfrentá-las da melhor forma, para minimizar os impactos negativos do país perante a comunidade mundial. A cobertura das manifestações, a reação policial, a sequência, com riscos de vandalismos e violência correrá o mundo. Durante a Copa a Imprensa Mundial estará presente nas cidades-sede. Alguns meios de comunicação anteciparão as suas equipes para cobrir eventuais manifestações prévias que podem afetar o fluxo de turismo. O potencial turista vai querer saber, antes da sua viagem, se haverá riscos ou não e pode até cancelá-la.

Por outro lado, sendo ano de eleições gerais, os Governantes estão e estarão preocupados com o impacto eleitoral dos acontecimentos.

Será, portanto, uma das principais questões estratégicas de 2014, envolvendo a inteligência militar. Essa pode não estar suficientemente preparada para entender e agir sobre manifestações…

O retorno dos black blocs

Convocada como uma manifestação pacífica contra os gastos com a Copa 2014, os black blocs se juntaram aos manifestantes com o claro propósito de provocação e vandalismo.

As imagens de acompanhamento das movimentações, pelo helicóptero da Globo, mostraram situações estranhas. 
Ao longo da Av. Paulista duas fileiras de soldados  da PM, mantendo os manifestantes nas faixas de circulação, impedindo-os de acesso às calçadas e às frentes da lojas e agências, e sem responder às provocações dos black blocs. Os demais manifestantes se encarregavam de retirá-los das proximidades dos soldados. O mesmo era visto na Av. Brigadeiro Luis Antonio, por onde o grupo principal seguiu.

Passado algum tempo, ao sintonizar as imagens na Globo News, visões estranhas: um grupo tentando virar uma viatura da Policia Civil Metropolitana, e nas proximidades uma pequena fogueira junto a um Fusca que acabou pegando fogo, ficando inteiramente queimado, sem qualquer presença da polícia fardada, ou dos bombeiros. Isso na…

Vai ter Copa?

Vai ter Copa? Vai A maioria do povo brasileiro é a favor da Copa? É Vai ser a "Copa das Copas"? Vai Vai ter manifestação de rua, durante a Copa? Vai Quem irá às ruas, protestar contra a Copa?Se o povo brasileiro, na sua maioria, é a favor da Copa, quer o seu sucesso, vai torcer pelo Brasil, então quem irá às ruas e por que?
A realização da Copa no Brasil, teve e terá diversas fases. A mais recente foi a construção dos estádios, dos aeroportos e da infraestrutura. Os estádios ficarão prontos. Os aeroportos e as obras de mobilidade urbana, apenas em parte. 
O essencial que são os estádios, onde ocorrerão os jogos estarão aptos a recebê-los e a organização da Copa é para o recinto fechado. Poderão ocorrer algumas falhas, mas serão de pequena monta, sem prejudicar a organização do evento que será "a Copa das Copas". Embora não seja mais que a obrigação de todo país sede de organizar uma Copa melhor que as anteriores, será alardeada - mundialmente, como a Copa das Copas. …

Ultimatos e vontades

Depois de mais de 2.000 dias, desde a homologação do Brasil como sede da Copa e faltando menos de 140 dias para o seu início, constatados os atrasos nas obras os discursos públicos são de otimismo, voluntarismo e ultimatos, como se os problemas fossem de falta de vontade.
Na realidade o problemas são confrontos entre os agentes envolvidos.
No caso da Arena da Baixada, o clube não quer desembolsar mais do que orçado inicialmente, para não comprometer as suas finanças futuras, requerendo a complementação por parte dos Governos. Os Governos, pressionados pela reação negativa da população, não querem se arriscar a ampliar os recursos para os estádios. O ultimato dado pela FIFA é uma iniciativa estratégica, de acuar os governos, antes que ela seja acuada e ter que desembolsar os recursos para assegurar os jogos já programados para Curitiba.
O Atlêtico vai comprometer as suas quotas dos direitos de transmissão, mas - provavelmente - não vai querer ampliar além disso o seu endividamento, jogand…

Os legados da Copa: engenharia consultiva

"Antes de uma boa obra existe sempre um bom projeto". Assim deveria ser com as obras para a Copa 2014 que tem prazo inelástico para sua entrega e, portanto, deveriam ser antecipadas para um bom andamento e concluídas dentro dos prazos.
Homologado pela FIFA e aceito pelo Governo Brasileiro, como sede da Copa 2014, ainda no final de 2007 teve tempo mais do que suficiente, do ponto de vista técnico, para se preparar adequadamente. 
Mas nem a Copa no Brasil conseguiu mudar a cultura do "deixar tudo para a última hora" e no final "dar um jeitinho". O ano de 2008 deveria ser destinado ao planejamento, tendo em vista a escolha das cidades-sede, 2009 o ano dos projetos e de 2010 a 2012/13 os períodos de execução das obras, com tempo suficiente para os testes e estar com tudo concluídoaté o final de 2013. Chegamos a esse e nem tudoestava pronto. Agora se verifica que nem todos os estádios poderão ficar prontos a tempo. Os prazos mais longos eram necessários para uma b…

O estádio só não é suficiente

O Itaquerão, como quer o Corinthians, vai ficar pronto até 15 de abril e poderá receber o seu primeiro jogo,  com lotação completa de cerca de 40 mil pessoas. 
Mas isso não garante o jogo de abertura da Copa nela. Para a abertura são necessários ainda mais cerca de 20 mil lugares transitórios, uma área para o estacionamentos dos caminhões com os equipamentos de retransmissão da TV, uma área para a village de recepção dos convidados da FIFA, dos patrocinadores e outra village para a exposição dos patrocinadores.  Além disso será necessário providenciar áreas para estacionamento dos carros do público espectador, a uma distãncia mínima de 2 km. Estacionamento próximo, só para as autoridades, patrocinadores e convidados Vips e VVips. 
A dificuldade do Morumbi em atender essas instalações do entorno, foi usada como argumento para sua inaceitação e mudança para o estádio em Itaquera que, igualmente, tem dificuldades.
A principal dificuldade é que ninguém quer assumir a responsabilidade pelos g…

A politização do fenômeno social

Um fato social corriqueiro pode não ter conotação política, mas ganha-a pela reação dos outros, da sociedade, da opinião publicada, seja a tradicional como a das redes sociais. Na falta de uma denominação corrente, chamaria essa de opinião publicada virtual ou digital.

Os rolezinhos verdadeiros, encontros de jovens da periferia, para passear, para se divertir, para lanchar, para tomar sorvete, para encontrar as minas e manos, para rolar beijo na boca, eram corriqueiros, marcados por telefone, pela comunicação pessoal "boca a boca", ou até por tradição.

Quando passaram a ser marcados pelo facebook ganharam outra dimensão. Passaram a reunir um volume maior de pessoas, tornaram-se notados e a reação dos outros acabou sendo política, pela emergência dos preconceitos. Os outros se assustaram e reagiram de forma repressiva e discriminatória. Essa reação deu margem a que pessoas ou grupos com posições políticas usassem ou pretendessem usar o fenômeno espontâneo em manifestações polít…

Rolês da classe média emergente

Os rolezinhos autênticos são fruto da emergência de uma nova "classe média" que em função dos programas sociais ou do trabalho melhorou a sua renda. Adquiriu uma pequena capacidade adicional de consumo que desenvolveu novos hábitos, mas conservou outros. 
Os manos que promovem ou participam dos rolezinhos não deixam a favela, não deixam as condições precárias de moradia, mas querem ter os produtos de marca e incluem como equipamento essencial um laptop conectado na internet. A partir dai se relacionam virtualmente criam um outro mundo. 
A maioria dos jovens rolezistas entrevistados pela mídia trabalham, ainda que em funções subalternas, e gastam a sua renda em alguns produtos de marca que os caracterizam, como diferenciados. Seria uma elite dentro das comunidades periféricas.
Já as minas dependeriam mais dos pais, com a reclamação de uma das mães de que a filha gasta o seu salário para se produzir, impedindo que ela tenha os recursos para conseguir uma moradia própria. A mina f…

Opinião Publicada e Comunicação via internet

Os jornais e revistas de grande circulação, assim como seus leitores, se imaginam falando "com o mundo" e que cobrem, analisam e entendem tudo o que acontece nesse mundo. Só que, na realidade, esse mundo é apenas um pequeno pedaço da realidade.
Quando ocorre um fato notável fora do seu mundinho, tem dificuldade de entender, decifrar e, num primeiro momento, o noticiam e interpretam de forma equivocada.
Os acontecimentos de periferia são acompanhados e noticiado pelas editorias policiais. Supostamente, o que lá acontece só teria interesse para a opinião publicada, quando é um ocorrência policial.

Os jovens da periferia, de há muito, promovem "rolezinhos", cuja forma moderna é o convite pela internet, mais precisamente pelo facebook. São convites feitos por "celebridades internáuticas" para conhecer os seus amigos e seguidores e por eles serem conhecidos pessoalmente. O propósito mais pecaminoso seria o beijo na boca.

Sairam da praça local para se encontrar em …

Os Legados da Copa: : arquitetura

Para a receber a Copa 2014 o  Brasil previu e está realizando um conjunto de obras, sem o devido e oportuno planejamento, porém em execução, antecedido por um projeto de arquitetura e/ou engenharia.

As edificações, como as dos estádios ou das estações de passageiros dos aeroportos são precedidos por projetos de arquitetura, complementados pelos de engenharia. As obras de infraestrutura partem de projetos de engenharia.
Dos 14 novos estádios em construção, 12 para a Copa e 2 (Arena Palestra e Arena Grêmio) que não serão utilizados para a Copa.
Somente os estádios de Manaus e Natal foram projetados por escritório de arquitetura estrangeiro, diversamente do que ocorreu na África do Sul, onde todos os estádios foram projetados por escritórios internacionais, com participação marginal de escritórios nacionais. 
A concepção do estádio do Corinthians foi importada, mas desenvolvida por escritório nacional. Os projetos estrangeiros foram elaborados pelas maiores empresas mundiais de arquitetura e…

Rolezões dos movimentos sociais

Os movimentos sociais, como previsto e esperado, estão dirigindo as suas mobilizações no sentido de ingressar dentro de shopping centers, para realizar "rolezões". 
Foram e serão frustrados e. ao contrário do que desejam, prejudicarão os jovens que marcam rolezinhos. 
É importante estabelecer a diferença entre os rolezinhos que são marcados e os rolezões que são convocados. 
A próxima fase será a tentativa de black blocs em se infiltrar em manifestações, mas nesse caso não conseguirão ingressar nos shopping porque tem que comparecer uniformizados com o seu "pretinho básico".
O Governo de São Paulo se retardou na orientação da polícia militar, mas outros governos já se posicionaram no sentido de não intervir nos rolezinhos dentro dos shopping centers a menos de casos de tumultos, furtos / roubos ou vandalismos. O que se quer evitar é a violência policial que dê margem a manifestações de protestos.
A questão importante desses movimentos de massa é que são prévias dos que …