sexta-feira, 12 de junho de 2015

Equivocos ou ilusões em relação aos aeroportos

O programa de concessões lançado pelo Governo Dilma repete os erros da privatização da gestão FHC que não levou em conta a visão estratégica. Com exceção do setor de telecomunicações.

No caso dos aeroportos o Governo não percebe adequadamente as condições de concorrência entre os aeroportos independentes. A concorrência não é entre aeroportos, mas dos polos turísticos. O aeroporto é um elemento acessório. Ninguém tem como destino final um aeroporto. Mas sim o polo turístico.

A concorrência entre aeroportos só ocorre em torno da posição de hub. Essa já ocorreu nas duas primeiras fases. Restou a alternativa de um hub no Nordeste. Mas para isso o Governo deveria colocar em licitação os três principais, Fortaleza, Recife e Salvador. Não incluir Recife é o principal equívoco do pacote.

(ver o artigo completo na coluna de artigos, à direita)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

A vontade do Soberano submetida ao Senado Federal

O anúncio pelo Presidente Bolsonaro da indicação do filho Eduardo para a embaixada do Brasil nos EUA, decorre do voluntarismo do soberano, o...