sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Projeto nacional: o confronto real (1)

Não haverá uma única proposta de projeto nacional, embora cada pessoa, cada grupo se ache ser o Brasil, ao propor o "país que queremos". 

As diversas propostas não são  necessariamente convergentes e nunca haverá um consenso absoluto.

O projeto nacional será a proposta que conseguir se tornar hegemônica. 

O projeto nacional será o das forças maiores do país, o que não quer dizer da maioria da população.  Mas poderá ser. 

Essa contradição precisa ser bem entendida para evitar sucessivas frustrações e indignações.

O projeto nacional real não é o formulado ou proposto pelas elites. Mas o praticado pelas forças patrimonialistas e corporativas, com respaldo nos votos da maioria dos eleitores.     

Não adianta a elite ficar formulando a sua pretensão  do "país que queremos", se as forças maiores continuam sendo a patrimonalista e a corporativa.  E, aparentemente, elas querem o país que temos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A vontade do Soberano submetida ao Senado Federal

O anúncio pelo Presidente Bolsonaro da indicação do filho Eduardo para a embaixada do Brasil nos EUA, decorre do voluntarismo do soberano, o...