segunda-feira, 5 de março de 2018

O Brasil tem Norte (4)

A quase totalidade da produção da agricultura familiar é destinada ao mercado interno, com pouca participação dela nas exportações. A menos quando está inserida num sistema produtivo mais amplo, como o caso de frangos e suinos.

 Essa produção chega ao consumidor brasileiro sob forma beneficiada ou processada industrialmente, o que leva à percepção da existência de uma indústria brasileira de alimentos.

A marca, objeto de amplo programa de marketing, busca caracterizar o seu produto como diferenciado e, através dela conquistar o cliente.

Esse processo reduz a participação dos intermediários atacadistas, mas acaba atrelando o pequeno e médio produtor a grandes empresas. Alguma são multinacionais. 

A industrialização inicial de caráter local ou regional, pelo aumento de escala, foi migrando mais próximo dos principais centros consumidores. Dessa forma o produto agrícola vai gerar empregos industriais em outras regiões que não a da sua produção.


A evolução tecnológica, agora com as tecnologias trazidas pela Revolução 4.0, permitirá a produção regionalizada, com escalas de produção menores, sem perder a competitividade.

Mas se mantém a barreria de entrada que são os investimentos maiores para adoção das tecnologias.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

A vontade do Soberano submetida ao Senado Federal

O anúncio pelo Presidente Bolsonaro da indicação do filho Eduardo para a embaixada do Brasil nos EUA, decorre do voluntarismo do soberano, o...