quinta-feira, 8 de outubro de 2015

A saída pela exportação de industrializados e as travas

Uma das saídas para a crise econômica é o aumento das exportações de industrializados. Para alguns a única. 

Essa saída enfrenta uma série de travas que precisam ser afastadas.

Duas visões ideológicas travam o desenvolvimento industrial:
  1. a visão nacional-desenvolvimentista que sempre foi e continua sendo contrária à produção industrial nacional para exportação. O entendimento dessa visão é de que toda produção industrial deve estar voltada para o mercado interno, com exportação apenas de excedentes;
  2. a visão monetarista para qual o principal instrumento para conter a inflação é a elevação dos juros, mantendo-os em elevados patamares reais.
A primeira trava a integração da indústria brasileira nas cadeias globais, modalidade ora adotada pela indústria mundial e limita os aumentos de escala.

A segunda, praticada ao longo de muitos anos, trava os investimentos físicos na ampliação e na produção industrial  pois a rentabilidade desses investimentos é mais baixa do que das aplicações financeiras. E se depender de financiamentos para alavancar as suas atividades os juros desses financiamentos inviabilizam tanto os gastos em capital, como em operação.

A desindustrialização não se caracteriza apenas pela redução da participação da produção industrial dentro do PIB, mas pelo esgarçamento do tecido industrial.

A reindustrialização envolve uma reintegração das cadeias produtivas, não mais adstrita ao país, mas às cadeias globais, sejam as produtivas como de suprimento. 

Para essa reindustrialização é preciso estabelecer e discutir uma pauta para vencer os obstáculos que a trava.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A vontade do Soberano submetida ao Senado Federal

O anúncio pelo Presidente Bolsonaro da indicação do filho Eduardo para a embaixada do Brasil nos EUA, decorre do voluntarismo do soberano, o...