domingo, 24 de dezembro de 2017

Agropecuária ou agronegócio?

Os produtores rurais não podem se apropriar do que não produzem, pois a sua produção primária representa apenas 25% do conjunto do agronegócio. E a sociedade urbana não pode rejeitar a importância dessa produção rural, pois é ela que dá origem e viabiliza os demais 75% e impulsiona o crescimento de toda a economia. 

O que se faz necessário, reiteramos aqui, é que o Brasil seja produtor e exportador de alimentos, com maior valor agregado em território nacional. 

Isso requer que a produção de insumos para a agropecuária tenha maior conteúdo nacional. Mas para essa ser competitiva com relação aos produtos estrangeiros precisa ter escala de produção nacional para a qual a demanda nacional, apesar de elevada, não será suficiente.

A indústria brasileira de máquinas agrícolas deverá ser organizada para suprimento mundial, tendo o mercado brasileiro como o principal mercado. 

A maior parte dos fornecedores desse setor são multinacionais que fabricam os seus produtos em diversos países do mundo. 

O objetivo brasileiro nesse setor não pode ser da autossuficiencia. Deverá se especializar em algumas linhas nas quais a meta é ser líder mundial. Em outras, deverá ser importador. Deverá ainda organizar a indústria de agropeças, com maior integração da indústria brasileira nas cadeias produtivas globais. 

A consecução desse objetivo envolve duas profundas mudanças culturais: a primeira de descartar o  pensamento da autossuficiência nacional. A segunda de dependência de planos e ações governamentais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A vontade do Soberano submetida ao Senado Federal

O anúncio pelo Presidente Bolsonaro da indicação do filho Eduardo para a embaixada do Brasil nos EUA, decorre do voluntarismo do soberano, o...