segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Plano estratégico para o agronegócio amplo (3)

O agro-serviços tem segmentos com mercado difuso com participação de um grande número de empresas independentes, pouco integradas setorialmente e outros altamente cartelizado, com poucas empresas com amplo espectro setorial.

O agronegócio, com a exceção da Rumo e de algumas pouco estradas vicinais, não participa diretamente da construção da infraestrutura, tampouco da operação da agrologística. 

Uma relevante questão estratégica é de como e quanto a agropecuária podem ou devem participar da agrologística? 

Sem perspectivas de poder contar com investimentos públicos terá que contar exclusivamente com recursos privados. 

A agropecuária terá que assumir a elaboração de um plano de "capilarização" do sistema logístico para atender ao agronegócio. E a partir dai negociar os investidores públicos e privados. 

Os "investidores públicos" serão os congressistas que poderão direcionar as suas emendas parlamentares para essa rede. Serão os poucos recursos públicos disponíveis para investimentos, em função do sistema político vigente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A vontade do Soberano submetida ao Senado Federal

O anúncio pelo Presidente Bolsonaro da indicação do filho Eduardo para a embaixada do Brasil nos EUA, decorre do voluntarismo do soberano, o...