terça-feira, 2 de janeiro de 2018

A omissão de José Galló

José Gallo é, sem dúvida, o melhor e mais brilhante administrador profissional. O paradigma desejado pelas Escolas de Administração. Não é um acadêmico, profundo conhecedor das teorias administrativas, mas capaz de colocar em prática as mais adequadas ao seu negócio.
O seu livro “Poder do Encantamento” deve ser o livro básico de todo estudante de Administração, que sem ser “herdeiro” tem pretensões de alcançar a direção geral de uma empresa. 

Uma omissão no seu livro refere-se ao trabalho similar à escravidão. Uma questão que é – provavelmente – o maior risco de uma rede de varejo que se baseia na cultura empresarial e na imagem.

Uma denúncia de uso de trabalho infantil ou similar à escravidão, causa um amplo e profundo impacto sobre a marca.
Para continuar encantando os seus clientes, não basta o bom atendimento. Precisam garantir às suas clientes de que não estão pagando um trabalho infantil ou similar à escravidão.

Houve uma pequena falha no sistema de controle da empresa e, no mundo do domínio das redes sociais, isso poderá por tudo a perder. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A vontade do Soberano submetida ao Senado Federal

O anúncio pelo Presidente Bolsonaro da indicação do filho Eduardo para a embaixada do Brasil nos EUA, decorre do voluntarismo do soberano, o...