segunda-feira, 13 de julho de 2015

Todo mundo diz o contrário do que quer

Dilma talvez seja a única sincera, neste jogo: diz que quer ficar e quer mesmo. 


Todos os demais querem mesmo é serem líderes da oposição, para chegarem em 2018 como os "salvadores da pátria". 

A começar por Lula. Ele acha que a única possibilidade dele em 2018 é se for líder da oposição de um governo fraco. Mas como não quer que esse governo seja a da companheira Dilma, quer a saida precoce dela.

Todos os demais também querem a mesma situação. Ninguém quer, efetivamente, assumir um país em crise. Mas ninguém admite que prefere ser líder da oposição.  Incluindo Aécio que diz que ela caia, mas prefere que ela fique "sangrando".
E preferem deixar o eventual cargo vago para Eduardo Cunha. 
(ver o artigo completo na coluna artigos, à direita, no final da lista).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A vontade do Soberano submetida ao Senado Federal

O anúncio pelo Presidente Bolsonaro da indicação do filho Eduardo para a embaixada do Brasil nos EUA, decorre do voluntarismo do soberano, o...