sábado, 25 de julho de 2015

Uma disputa de argumentos falsos

Diante da realidade irreversível  de chamada de taxista pelo telefone celular, a solução não é proibir o aplicativo. Que é legal.
O que não é legal é o transporte por motoristas que não tem a devida licença municipal para prestar o serviço, devidas as exigências da regulação municipal. O Uber comete o erro de anunciar um serviço para conectar taxistas com o usuário. O seu taxista é pirata, realizando serviços ilegais.

Dai há duas soluções, ambas radicais: desregulamenta-se inteiramente a prestação dos serviços e qualquer motorista pode prestar os serviços, cobrar pelos mesmos e ficar sujeito apenas ao Código de Defesa do Consumidor. 

Se você levantar o braço na rua, qualquer um pode lhe oferecer o serviço. Ou o Uber quer substituir um oligopólio por um monopólio? O dos aplicativos.

A outra é estender a regulamentação e exigir que o motorista cadastrado no Uber seja cadastrado também na Prefeitura e tenha que pagar os mesmos tributos dos demais taxistas. Todo mundo vira taxista.
(ver o artigo completo na coluna artigos)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A vontade do Soberano submetida ao Senado Federal

O anúncio pelo Presidente Bolsonaro da indicação do filho Eduardo para a embaixada do Brasil nos EUA, decorre do voluntarismo do soberano, o...