quarta-feira, 23 de abril de 2014

Valcke e o rapa

Já contaram para o Valcke o que vem a ser "rápa". É bom, ele que é tão cioso com os seus partrocinadores entender o que é e como funciona.
É preciso ensinar a ele também o que é semi-. Ou "tipo".
Os estádios vão ser entregues à FIFA, em meados de maio semi-prontos. É a mesma coisa que tudo pronto, com pequeníssimas diferenças.
Mas dá para ter jogo e receber o público. Que pode passar sede e fome, com as lanchonetes funcionando mal, mas isso é detalhe. Usar o telefone celular, para tirar e mandar fotos instantâneas, nem pensar.
Vai ser tudo "tipo padrão FIFA". Principalmente os banheiros.

A preocupação maior da FIFA agora são as "fan-fest". Ela quer saber se as autoridades vão garantir a exclusão dos não credenciados nas proximidades. Ninguém, que não seja autorizado pela FIFA e page os direitos, poderá comercializar qualquer produto. 
As autoridades vão garantir que já baixaram a regulamentação e prometem "rigorosa" fiscalização. Vai organizar os "rápas", confiscando todos os produtos irregulares e detendo os contraventores.


Esses, com o receio de perder as suas mercadorias e serem até presos nem vão chegar perto, da mesma forma que os ambulantes não chegam perto da rua 25 de março, em São Paulo, ou nos arredores do Maracanã, em dias de jogos, no Rio de Janeiro. Tampouco irão às praias vender as rosquinhas. É o que espera a FIFA e é prometido a ela. E ela faz de conta que acredita. Já se habitou ao "jeitinho brasileiro".


Na realidade estarão todos presentes nos dias jogos, onde não deveriam ou poderiam estar com as suas mercadorias, inclusive imitações de produtos oficiais. E todos preparados para ouvir alguém avisar: "é o rapa"! Ou "olha do rápa!" Em poucos segundos todos terão desaparecidos. Alguns serão detidos, para efeito de demonstração, mas tudo na base do acerto. Logo em seguida estarão soltos e de volta aos locais. Os fiscais serão também sócios da FIFA, faturando com o evento. E os políticos, mirando as eleições de outubro, porque ambulante também é eleitor. Valcke não.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A vontade do Soberano submetida ao Senado Federal

O anúncio pelo Presidente Bolsonaro da indicação do filho Eduardo para a embaixada do Brasil nos EUA, decorre do voluntarismo do soberano, o...