quarta-feira, 16 de julho de 2014

O equivoco do Nordeste com a Copa

O calendário da Copa do Mundo da FIFA de 2014 conhecido desde 2013 mostrava que não haveria mais a Copa nas  cidades do Nordeste no mês de julho, o mês de férias de inverno, quando os que não gostam do frio e tem possibilidades financeiras viajam para desfrutar do sol, calor e mar junto às praias do Nordeste. Como fizeram sabiamente os alemães, instalados em Santa Cruz de Cabrália, no litoral baiano.

Com medo da concorrência da Copa o "trade" turístico do Nordeste não se mobilizou, ou pior, se desmobilizou para promover o turismo das férias de julho e só acordou muito tarde, quando percebeu uma demanda fraca para esse mês e fez promoções para reanimar a demanda. Essa proveniente principalmente do sudeste. 

O resultado  concreto está visível ou pelo menos informado pela mídia: hotéis com baixa ocupação e um movimento de turistas bem abaixo dos anos anteriores, sem a devida compensação durante o mês de junho quando as cidades receberam jogos da Copa. Os restaurantes também estariam com baixo movimento. É um mês de julho atípico: sem Copa e sem cozinha.

É a conta negativa abafada pelo sucesso da Copa como um todo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A vontade do Soberano submetida ao Senado Federal

O anúncio pelo Presidente Bolsonaro da indicação do filho Eduardo para a embaixada do Brasil nos EUA, decorre do voluntarismo do soberano, o...