segunda-feira, 21 de julho de 2014

O legado da Copa para os estacionamentos

O "padrão FIFA" envolve uma contradição, em relação aos estacionamentos. Exige que os estádios tenham ampla área de estacionamentos, compatível com a sua capacidade nominal, mas que foi proibida de ser utilizada pelo público geral nos jogos da Copa. Por razões de segurança e também para a utilização parcial pelas tendas.
Construidos ou reformados os estádios com essas áreas há um legado a ser avaliado.
As áreas de estacionamento só serão utilizados pelo público presente aos jogos no estádio ou servirão ao público em geral?
As situações são diversas. Todos pretendem que os seus estádios sejam uma arena multiuso, mas nem todos tem viabilidade para tal. 
Uma arena multiuso poderá receber outros eventos além de jogos de futebol, como shows musicais, mega eventos comemorativos e outros. Poderá abrigar um shopping center, com academias de ginástica, lojas, cinema e praças de alimentação que teriam um público mais constante.
Poderiam ser de uso comum para atender a uma demanda do entorno.
O caso com maior potencial é o estacionamento aberto do Estádio Nacional de Brasília, podendo atender a uma demanda reprimida de vagas na Capital Federal. Porém como não foi implantada a linha de VLT que chegaria até o estádio, a área precisará de serviços de "transfer" para poder atender ao sistema "park and ride". 
O de Belo Horizonte pode atender ao público oriundo do vetor norte, que chegaria de carro, estacionaria junto ao Mineirão e poderia seguir pelo BRT até o destino final. Mas fora daqueles em que o destino final estaria junto a uma estação de BRT porque o motorista interromperia a sua viagem para uma transferência? O brasileiro não está acostumado, tampouco gosta dessas transferências.

Para o atendimento ao público em geral, o estádio, com a sua área de estacionamento deve estar incrustado num polo urban denso, com grande demanda de destino. Os que mais atendem a essa condição são o de Manaus, o de Salvador, o de Natal e o Maracanã.  O de Curitiba está em área urbana, do centro expandido, mas predominantemente residencial. 
O Beira Rio em Porto Alegre, a Arena Pantanal em Cuiabá tem um grande potencial de induzir a ocupação do entorno. 

Itaquerão, em São Paulo, Castelão em Fortaleza e Arena Pernambuco na Região Metropolitana do Recife foram instalados na periferia da cidade, dependendo de projetos urbanos para se tornarem importantes polos de destino, com a geração de empregos. Durante muitos anos poderão carregar a imagem de "elefante branco" com os seus amplos estacionamentos utilizados apenas nos dias de jogo.

A Copa do Mundo deixa uma legado positivo para os estacionamentos, porém de aproveitamento a médio e longo prazos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

A vontade do Soberano submetida ao Senado Federal

O anúncio pelo Presidente Bolsonaro da indicação do filho Eduardo para a embaixada do Brasil nos EUA, decorre do voluntarismo do soberano, o...